sexta-feira, 18 de julho de 2014

so... vamos começar.

Portanto o tempo passou como previsto... e cá estou eu a fazar mais um atualização sa 1 da manhã enquanto ouço the vamps.
No passado domingo fui ao concerto dos one direction que dia memorável mas vamos falar de coisas tristes ok? ok  ( the fault in our stars!!!!!!)

Então para ser sincera não existem coisas neste momento que me estejam a fazer triste ou arrependida das escolhas que têm sido feitas para aproveitar a minha vida na Terra biologicamente falando.

Nunca ninguém me perguntou mas os meus medos... bem medo eu não tenho de muitas coisas. o medo existe para quê exatamente? para viver-mos presos na ilusão que não conseguimos fazer alguma coisa porque "temos medo dela" well não faz grande sentido. momento de auto ajuda, nós podemos fazer praticamente tudo. se não formos os nossos próprios inimigos ou se vivermos na ilusão que somos algo menor.

eu não tenho medo irracional por nada, acho que o meu medo é bem racional, e é inevitável, ser esquecida, bem a verdade é que todos nós vamos ser esquecidos podes ser o Newton do século 21 mas daqui a 1 milhão de anos ninguém se vai lembrar de ti até porque provavelmente não existirá ninguém para se lembrar de ti. por isso não é um medo individual é um medo coletivo um medo que vai acontecer a todos nós, então se é inevitábel porque é que é considerado um medo? bem eu não sei mas sinto que não mereço ter um fim como o das outras pessoas, não digo ter um fim melhor ou pior apenas diferente. e sincermente será que quando der-mos o nosso ultimo suspiro vai ser o fim? 

Sem comentários:

Enviar um comentário